sábado, 23 de março de 2013

Eliseu e a Escola de Profetas - Lição 12 CPAD - Atualizada

Eliseu e a Escola de Profetas

Lição 12 CPAD – 24/03/2013 Editor – Pr.Osvarela
Texto Áureo: II Tm. 2.1,2 . TU, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus. E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.
Leitura Bíblica: II Rs. 6.1-7

E DISSERAM os filhos dos profetas a Eliseu: Eis que o lugar em que habitamos diante da tua face, nos é estreito.Vamos, pois, até ao Jordão e tomemos de lá, cada um de nós, uma viga, e façamo-nos ali um lugar para habitar. E disse ele: Ide.E disse um: Serve-te de ires com os teus servos. E disse: Eu irei.E foi com eles; e, chegando eles ao Jordão, cortaram madeira.E sucedeu que, derribando um deles uma viga, o ferro caiu na água; e clamou, e disse: Ai, meu senhor! ele era emprestado.E disse o homem de Deus: Onde caiu? E mostrando-lhe ele o lugar, cortou um pau, e o lançou ali, e fez flutuar o ferro.E disse: Levanta-o. Então ele estendeu a sua mão e o tomou.
Etimologia
Mutatis mutandis - é uma expressão latina que significa mudando o que tem de ser mudado.
Símile - Comparação (ou Analogia) é uma figura de linguagem semelhante à metáfora usada para demonstrar qualidades ou ações de elementos. Isto é, "com as devidas modificações", (pop.) "com os devidos descontos". É uma expressão extremamente útil nos textos argumentativos, quando queremos ressaltar as semelhanças entre dois elementos sem deixar que as diferenças tornem a analogia obscura, ou sejam, usadas por nosso interlocutor para invalidar nosso raciocínio.
A Escrituras neotestamentárias identificam o profeta como aquele, que fala, sob a unção do Espírito Santo, sendo porém uma forma diferente do profeta clássico das Escrituras veterotestametárias.
Ex. "Isto diz o Espírito Santo:Assim ligarão os judeus em Jerusalém o homem de quem é esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios".
Na Hermenêutica - É uma comparação em que uma coisa lembra outra explicitamente (usando como, assim como, tal qual, tal como).
Pedro usou um símile quando escreveu: “... toda carne é como a erva...” (1 Pe. 1:24). As palavras do Senhor em Lucas 10:3 são um símile: “... Eis que eu vos envio como cordeiros para o meio dos lobos...”. Também existem símiles no Salmo 1: “Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas” (v. 3) e "são [...] como a palha” (v.4).
A dificuldade dos símiles é descobrir as semelhanças entre os dois elementos.
Em que aspecto o homem é como a erva?
Em que sentido os discípulos de Jesus eram como cordeiros?
De que forma o cristão é como uma árvore e o ímpio como a palha?
Exórdio.
- O Conceito De Profeta Entre Os Pagãos.
Dt.8:14.Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR teu Deus não permitiu tal coisa.
A Escola de Profetas é um estabelecimento de origem do Oriente mais distante, lá na Mesopotâmia, onde havia de há muito, profetas e profetas.
Dn. 4:7-6. Então entraram os magos, os astrólogos, os caldeus e os adivinhadores, e eu contei o sonho diante deles; mas não me fizeram saber a sua interpretação. Mas por fim entrou na minha presença Daniel, cujo nome é Beltessazar, segundo o nome do meu deus, e no qual há o espírito dos deuses santos; e eu lhe contei o sonho, dizendo:
Por isso expedi um decreto, para que fossem introduzidos à minha presença todos os sábios de Babilônia, para que me fizessem saber a interpretação do sonho.
Não no sentido dos Ish Elohim, como mostraremos mais abaixo, mas no sentido da vidência.
- O Profetismo Pagão.
Exemplo – Mari
Não buscava moralidade, mas só mente profetizava para a casa real.
As profecias de Mari são textos que poderiam ser um paralelo à profecia bíblica, contudo, eles só falavam à casa real, enquanto os profetas bíblicos falavam a todo o povo;
Por conta do uso de coisas, das quais o Senhor – Elohim não se agrada.
Usavam:
A lecanomancia (leitura do futuro pela figura do azeite derramado numa taça sagrada), a hepatoscopia (a leitura do futuro pelos riscos do fígado de animais sacrificados aos ídolos), o uso de árvores sagradas, como os cananeus faziam com os carvalhos (vide o carvalho de Moré, em Gn. 12.6 - Moreh, em hebraico, significa “mestre”), sonhos após alucinógenos, a interpretação do vôo dos pássaros, tudo isto fazia parte do ofício profético pagão.
Estes profetas em sua maioria eram da corte.
Só que, se valiam de meios espúrios como os magos do Egito. Gn.41.8; Ex.2..ss; Daniel 6...
Veja:
Faraó – magos;
Nabucodonosor – sábios
Ficavam a disposição do Rei para qualquer situação em que o rei necessitasse de uma orientação, ou mesmo tivesse um sonho pudessem interpretar, para tanto, se valiam de meios diferentes do navi ou do Ish Elohim.
Eles se valiam, de ‘ver’ por meio do pau, da pedra, do óleo, de outros elementos da natureza, como o sol ou a lua, a água e ainda como pesquisamos anteriormente, pelas repetições de certos fenômenos da natureza.
-Pelos intestinos de um animal;
-Uma estrela que passava por alguns anos voltasse a passar.
-Por chuvas que ocorriam sazonalmente em anos anteriores.
Ou seja, a vidência, nestes casos, era um exercício de agouro ou de predição baseada em espíritos atuantes na vida destes homens ou de sua ‘sabedoria’ em observar os acontecimentos!
Como as profecias de Mari – Mesopotâmia!
Não há registo de profecias de cunho moralizador!
Apenas buscava descobrir o futuro para orientar os reis sobre guerras a declarar, alianças políticas a fazer ou decisões por tomar, como os adivinhadores e os sábios de Faraó, em Gênesis 41.8.
I- Como Funcionava Uma Escola De Profetas:
O profeta da Escola dos Profetas é instado a ter uma vida sem luxo, mas confortável.
É ensinado a volver o olhar ao passado da Aliança - Pacto de Ex.19.
Aos ditames do Decálogo.
A Ambiência deles se dá em lugares afastados, tais como:
O deserto – lugar do encontro e formação de Israel, como jovem Nação em formação;
Êxodo 19:5-8. Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha. E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo
Então todo o povo respondeu a uma voz, e disse: Tudo o que o SENHOR tem falado, faremos. E relatou Moisés ao SENHOR as palavras do povo. Lugar onde Israel as Promessas.
Lugar da Aliança: Êxodo 19:2. Porque partiram de Refidim e entraram no deserto de Sinai, onde se acamparam. Israel, pois, ali se acampou em frente ao monte.
A Escola de Profeta os ensina a ser frugal, isto é não se importam com o luxo, dos profetas do reino, ou dos cúlticos.
Condenam o luxo e as facilidades da vida urbana.
Amós 3:1. E ferirei a casa de inverno juntamente com a casa de verão; e as casas de marfim perecerão, e as grandes casas terão fim, diz o SENHOR.
Amós 6:8. Jurou o Senhor DEUS por si mesmo, diz o SENHOR, o Deus dos Exércitos: Abomino a soberba de Jacó, e odeio os seus palácios; por isso entregarei a cidade e tudo o que nela há.
A lembrar ao Povo o que se deu no Sinai.
Pregam um futuro no deserto.
Oséias 12:9-10. Mas eu sou o SENHOR teu Deus desde a terra do Egito; eu ainda te farei habitar em tendas, como nos dias da festa solene. Falei aos profetas, e multipliquei a visão; e pelo ministério dos profetas propus símiles.
Oséias 2:14-17. Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração. E lhe darei as suas vinhas dali, e o vale de Acor, por porta de esperança; e ali cantará, como nos dias de sua mocidade, e como no dia em que subiu da terra do Egito.
E naquele dia, diz o SENHOR, tu me chamarás: Meu marido; e não mais me chamarás: Meu senhor.
E da sua boca tirarei os nomes dos Baalins, e não mais se lembrará desses nomes.
A Escola de Profetas – Multiplicadora da Visão dada a Israel – Revelação continuada.
A Primeira Escola De Profetas.
“... Falei aos profetas, e multipliquei a visão”;
Nm. 11:20-29. ...Então o SENHOR desceu na nuvem, e lhe falou; e, tirando do espírito, que estava sobre ele, o pôs sobre aqueles setenta anciãos; e aconteceu que, quando o espírito repousou sobre eles, profetizaram; mas depois nunca mais. Porém, Moisés lhe disse: Tens tu ciúmes por mim? Quem dera que todo o povo do SENHOR fosse profeta, e que o SENHOR pusesse o seu espírito sobre ele!
Podemos dizer que aí nasceu a Escola de Profetas em Israel, no deserto, o lugar ideal para ensinar a viver numa vida de total dependência de Deus!
Sua Importância.
I Rs 19: 10;18. E ele disse...SENHOR Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada... Também deixei ficar em Israel sete mil.
A- O vidente, aquele que vê coisas escondidas, como Samuel, por exemplo. Ele sabia onde estava a jumenta extraviada de Saul (1Sm 9.9).
μαντευομαι - manteuomai. Significando um profeta, de quem se espera que fale por inspiração;
1) agir como um vidente - Dn.6
1a) pronunciar um oráculo, profecia divina;
B- O profeta individual, clássico;
C- E o que estamos estudando nesta Lição.
Os profetas de corporações, produto das chamadas escolas de profetas. Os profetas oriundos ou agrupados e vivenciando o mundo profético divino celestial, em sua plenitude sob a direção de um Profeta, digamos de Nível Nacional, ou regional.
Geralmente tinham um chefe ao redor do qual se agrupavam.
Viviam em um נוית Naviyth - n pr loc. Naiote = “habitações”
1) um lugar de habitação dos profetas na época de Samuel;
Elias foi chefe de uma escola (2Rs2.3);
Eliseu, que tinha também discípulos, como Geazi, e uma escola (2Rs 4.1).
Para melhor entendermos esta questão da Escola de Profetas necessitamos entender o profetismo em Israel.
Perpassa certo ar de não entendimento, quando falamos Escola de Profeta, aliás, há igrejas que mantém este termo, em algum departamento ligado a formação de obreiros.
A LXX traduz três termos vendo-os numa direção, para a atividade profética, em relação ao que tem o Dom!
-navi;
-ro’eh, - veja que há palavra que substitui esta: ראה ro’eh - n. m. 1) vidente, profeta; 2) visão (profética)
ראה Ro’eh - Palavra que pode ser usada no lugar de ro’eh - n. pr. m. - Haroé = “visão”
-hozeh por prophetês,
O sentido é “falar por alguém”.
É o termo que o Novo Testamento utiliza quase cento e cinqüenta vezes.
Também são usados, comumente, mas menos vezes mais três termos hebraicos:
-sophi’im;
-atalaia (Jr 6.17; Ez 3.17; 33.2,6,7);
-shomer, significando atalaia, sentinela, guarda (Is 21.11,12; 62.2);
–raah, significando pastor (Jr 23.4; Ez 34.2-10; Zc 11.5,16).
Não têm, no entanto, a repetição e a singularidade dos termos anteriores.
O termo deve ser entendido, ou pode ser entendido, conforme citado nas Escrituras.
Navi ou Nabi:
Aparece 300 vezes no AT, sendo que quase um terço das ocorrências está em Jeremias.
O sentido do termo é disputado, mas parece vir do verbo nivva, que teria vindo do acadiano navvu, que significa chamar, nomear.
O verbo nivva significaria, então, o ato de designar alguém como arauto.
Neste sentido, o primeiro significado bíblico para profeta, no Antigo Testamento, seria o de proclamar, o de anunciar, fazendo assim o papel de um arauto. Seu uso acontece um pouco mais que trezentas vezes, sendo que quase um terço das ocorrências está em Jeremias.
Também são usados, comumente, mas menos vezes mais três termos hebraicos: sophi’im, significando atalaia (Jr 6.17; Ez 3.17; 33.2,6,7); shomer, significando atalaia, sentinela, guarda (Is 21.11,12; 62.2) e raah, significando pastor (Jr 23.4; Ez 34.2-10; Zc 11.5,16). Não têm, no entanto, a repetição e a singularidade dos termos anteriores.
I-b-O Profeta de Deus.
Elias e Eliseu!
Ish Elohimאיש האלוהיםhomem de Deus – daí a expressão da mulher da Lição passada, que fala a respeito de Eliseu: “vejo que este que passa por aqui é um ish Elohim”;
Para entendermos o uso destes textos vamos nos valer de um texto bíblico do AT muito conhecido, pelos personagens envolvidos – Samuel e Saul!
I Sm. 9:9-10. (Antigamente em Israel, indo alguém consultar a Deus, dizia assim: Vinde, e vamos ao vidente; porque ao profeta de hoje, antigamente se chamava vidente). Então disse Saul ao moço: Bem dizes; vem, pois, vamos. E foram-se à cidade onde estava o homem de Deus.
Encontramos aqui:
a- O Ishi Elohim – homem de Deus;
b- O Vidente. Ver além daquilo que os outros não podem ver.
Diferente dos profetas de Mari, o profeta em Israel era mantenedor da moralidade, santificadora do povo.
Dos valores diários na convivência púdica entre homens e mulheres, eles anunciavam o juízo de Deus aos que se portavam de maneira indecente no arraial israelita!
Ser proclamador dos juízos e ter autoridade.
É a base que podemos nos sustentar pela Palavra de Deus.
Porque, o Profeta que é profeta, não diz que é profeta, mas as pessoas eem isso na sua vida. Não é ele quem se proclama assim. Na realidade, o profeta não alardeava sua condição de profeta.
c-As pessoas deveriam notarII Rs. 4:9. E ela disse a seu marido: Eis que tenho observado que este que sempre passa por nós é um santo homem de Deus.
Samuel era bem este caso, a quem considero como o Pai do profetismo após Moisés.I Sm. 3:11.E disse o SENHOR a Samuel: Eis que vou fazer uma coisa em Israel, a qual todo o que ouvir lhe tinirão ambos os ouvidos.
Era conhecido [...Mostra-me, peço-te, onde está a casa do vidente. ...], e reconhecido como tal – Profeta – Ishi Elohim e vidente.
d-E ele próprio se apresenta como o vidente!
I Sm. 9:20-19. E quanto às jumentas que há três dias se te perderam, não ocupes o teu coração com elas, porque já se acharam. E para quem é todo o desejo de Israel? Porventura não é para ti, e para toda a casa de teu pai? E o uso da função do verdadeiro dom do vidente:
Ver além daquilo que os outros não podem ver.
Ser proclamador dos juízos e ter autoridade.
I Sm. 9:20-19. ... E Saul se chegou a Samuel no meio da porta, e disse: Mostra-me, peço-te, onde está a casa do vidente. E Samuel respondeu a Saul, e disse: Eu sou o vidente;
Ainda hoje elas precisam ver em nossa vida se somos ou não um ish Elohim.
Ela queria dizer é um profeta, assim como a mulher disse a Jesus, lá no Poço: “vejo, que és profeta!” – Jo. 4:19 – Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta.


II- Historiando Os Profetas E Profecia.
A-Abraão.
Com ele surge, nas Escrituras veterotestamentárias, a palavra que titula ao homem que fala com Deus e de Deus.
O primeiro termo hebraico, navi está ligado a este personagem, gerador de Nações.
Em Gênesis 20.7, Abraão é titulado de profeta, no testemunho que o próprio Deus dá a Abimeleque: “restitui a mulher a seu marido, porque é profeta [ish Elohim]”.
B-Moisés.
O padrão para os demais profetas.O que inaugurou o ofício profético.
Nm. 11:20-29. Mas um mês inteiro, até vos sair pelas narinas, até que vos enfastieis dela; ... Por que saímos do Egito? Então o SENHOR desceu na nuvem, e lhe falou; e, tirando do espírito, que estava sobre ele, o pôs sobre aqueles setenta anciãos; e aconteceu que, quando o espírito repousou sobre eles, profetizaram; mas depois nunca mais. Porém, Moisés lhe disse: Tens tu ciúmes por mim? Quem dera que todo o povo do SENHOR fosse profeta, e que o SENHOR pusesse o seu espírito sobre ele!
O primeiro homem visto como profeta nacional, navi também, é Moisés.
-Dt. 18.15: “o Senhor teu Deus te suscitará um navi como eu, do meio de ti, de teus irmãos. A ele ouvirás”.
Ou - O SENHOR teu Deus te levantará um profeta do meio de ti...
Na Lei só encontramos esta referencia à Profecia como instituição, guarde isto.
Moisés é mostrado como o padrão profético.
Ao lermos sobre o profetismo devemos entender que na Mesopotâmia, de onde vem Abraão, já havia profetas.
Arão – Arão foi um profeta, ou seja uma pessoa autorizada por Deus, ou seja, falava de modo autorizado o que Moisés lhe dissesse. Arão era de Moisés.
Ex. 4:14-16. ... Não é Arão, o levita, teu irmão? Eu sei que ele falará muito bem; [...] E tu lhe falarás, e porás as palavras na sua boca; e eu serei com a tua boca, e com a dele,
ensinando-vos o que haveis de fazer.E ele falará por ti ao povo; e acontecerá que ele te será por boca, e tu lhe serás por Deus.
II-1-Igualando os iguais.
Abraão- navi tem uma relação especial com Deus e é um peregrino chamado a peregrinar por terra estranha.
Moisés - navi também tem uma relação especial com Deus.
É peregrino, mas chamado com uma missão de libertador, e sabia para onde iria junto com os seus,mas é arauto, o que Abraão não foi.
O segundo termo hebraico para “profeta” é ish Elohim, homem de Deus.
Não é um título auto-apregoado a si mesmo de forma triunfal.
O termo aparece 76 vezes no Antigo Testamento e quase na metade das vezes é aplicado a Eliseu.
Não é que ele seja o padrão, mas na história de Eliseu o termo é empregado com muita frequência. Parece mais questão de jeito do autor bíblico se expressar.
Era um reconhecimento que os outros faziam do profeta.
III-A Importância da Escola de Profetas de Eliseu.
“E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.”
O Texto Áureo nos mostra a importância na transmissão do conhecer ao Senhor.
Nota: Fala da manutenção do padrão divino, da moralidade estabelecida por Deus.
Hoje vivemos aqui mesmo no Brasil, um período conturbado, de moralidade.
O autor deste trimestre teve a feliz visão de Deus, ao abordar esta questão, pois estamos em meio a um verdadeiro vulcão, ou tufão que quer destruir os valores morais e envolve um evangélico, e muitos de nós, ainda se deixam envolver na critica, que quer desmerecer a Palavra de Deus.
Na Escola de Profetas os discípulos aprendiam a serem idôneos e também eram testados e davam oportunidade do Profeta realizar atos milagrosos, sob o poder do Espírito que o impulsionava:
E DISSERAM os filhos dos profetas a Eliseu: Eis que o lugar em que habitamos diante da tua face”.
“...chegando eles ao Jordão, cortaram madeira. E sucedeu que, derribando um deles uma viga, o ferro caiu na água; e clamou, e disse: Ai, meu senhor! ele era emprestado.E disse o homem de Deus: Onde caiu? E mostrando-lhe ele o lugar, cortou um pau, e o lançou ali, e fez flutuar o ferro. E disse: Levanta-o.”
O estabelecimento chamado de Escola de Profetas mostra-nos que, assim como, Eliseu foi levantado para continuar de forma dobrada, foi fundamental ele frequentar a Escola de Profetas, onde seguindo o Líder daquela comunidade, Elias, e podendo ver o que Deus realizava, ele viveu cada passo de forma que surgiu o desejo de ser como Elias e para tanto, ele achou que seria necessário ter uma Porção Dobrada, para realizar, assim como Elias Milagres e maravilhas.
Observe o destaque em negrito e colorido no texto abaixo.
I Rs 19:2. Voltou, pois, de o seguir, e tomou a junta de bois, e os matou, e com os aparelhos dos bois cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram; então se levantou e seguiu a Elias, e o servia.
Nota: Interessante notar, que Eliseu realizou mais milagres do que Elias, mas não o encontramos viajando nas ‘asas do Espírito’! I Rs 18:12. E poderia ser que, apartando-me eu de ti, o Espírito do SENHOR te tomasse, não sei para onde, e, vindo eu a dar as novas a Acabe, e não te achando ele, me mataria...
Às vezes, ao substituirmos alguém podemos até realizar eventos maiores, mas a dotação divina na vida do nosso antecessor nos obriga a olhar para sua vida e ver que o nosso Elias tinha uma grande intimidade com Deus pelo seu Espírito!
Deus nos usa cada qual a sua vontade e necessidade!
E sucedeu que, derribando um deles uma viga, o ferro caiu na água; e clamou, e disse: Ai, meu senhor! ele era emprestado.E disse o homem de Deus [ishi Elohim]: Onde caiu? E mostrando-lhe ele o lugar, cortou um pau, e o lançou ali, e fez flutuar o ferro. E disse: Levanta-o. Então ele estendeu a sua mão e o tomou.
Mais do que ensinar era vivenciar diariamente aos olhos dos jovens profetas a comunhão e ligação com O Senhor.
A intimidade nos assuntos como: milagres, vidência [vou esclarecer, mais]; autoridade junto aos que reinavam e até mesmo uma elevada dose de ousadia!
No texto acima vemos Eliseu demonstrando, o seu reconhecimento como profeta, sua convicção e sua autoridade.
1- Reconhecimento -E sucedeu que, derribando um deles uma viga, o ferro caiu na água; e clamou, e disse: Ai, meu senhor! ele era emprestado.
2-Convicção - E disse o homem de Deus: Onde caiu? E mostrando-lhe ele o lugar, cortou um pau, e o lançou ali, e fez flutuar o ferro.
3-Autoridade -E disse: Levanta-o. Então ele estendeu a sua mão e o tomou.
O ish Elohim é mostrado como uma pessoa de confiança de Deus e as pessoas vêem isso na sua vida.
a-O Ro’eh.
O terceiro termo, na realidade, é expresso por duas palavras hebraicas: ro’eh e hozeh.
Eles se intercambiam no uso e têm, ambas, o sentido de vidente. Ro’eh, o termo mais comum, deriva do verbo “ver”. Um dos seus usos está em Amós 7.12 onde Amazias chama a Amós de ro’eh: “Vai-te, ó vidente (ro’eh), foge para a terra de Judá, e ali come o teu pão, e ali profetiza”.
b-O que o Profeta vê de diferente?
É neste aspecto que a escola de profeta funciona.
Assim como há a formação de Obreiros, eles precisam ver diferente, seja orando e buscando, mas necessariamente estudando, como o Apóstolo Paulo escreve a seu filho Timóteo:
O termo nem sempre está associado com vidência.
Algumas vezes é uma interpretação dos eventos ou a compreensão de algo mais profundo numa visão comum.
Como o fizeram Isaías, Jeremias.
Um andando nu;
Outro com uma canga;
Um descendo até Olaria observar o serviço do Oleiro;
- Micaías dizendo: II Cr.18.16. “eu via Israel disperso, como ovelhas sem pastor...”
Outro, já no Novo Testamento [sem discutir, aqui a questão neotestamentaria de profeta], se autoligando com a cinta de Paulo;
Veja nossos estudos sobre o assunto em nossa página.
Jeremias vê um oleiro fazendo um vaso e compreende a relação entre Iahweh e Israel (18.1-4).
Vê uma vara de amendoeira florescendo (1.11-12) e faz um trocadilho: ele vê uma “amendoeira” (shaqed) que soa parecido com “vigilante” (shoqed).
שקד shaqad - vb. (Pual) flores de amendoeira no formato de cálices (particípio)
שקד shaqed- n. m. 1) amendoeira, amêndoa
A amendoeira floresce quando capta o aumento da umidade do ar.
Ela vigia, ela shoqed o ar. Assim Deus está shoqed com sua palavra. Ninguém veria isso, mas o profeta vê.
III-a-O profeta vê o que os outros não vêm.
É hoje o que a Escritura Neotestamentaria chama de discernimento.
Porque hoje o profeta está mais ligado a relatar aquilo que Deus o manda falar!
Mas, não está na posição de ser consultado.
O Dom é algo que pode ser controlado, no uso, mas não na ação profética, a bel-prazer do profeta! Osvarela
A atividade do profeta, o faz ver as consequências;
É ele que tem a visão por detrás do que está acontecendo, e parece normal para todos os demais.
Gn.1:27. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
É ele quem sabe e vai falar da moralidade sob o ponto de vista de Deus, e seu padrão antropológico ao criar os homens - vê o que os outros não conseguem ou não querem ver.
Sabe que isso trará a ruína da Federação dos homens e tem que ser atalaia e avisar do mal vindouro, como condenação sobre todos!.
Para ser profeta é necessário compreender que seremos “fora do tom” e vistos dentre a multidão, como o que fala o que ela não quer ouvir. – ver II Cr.18.5-13;
Profeta Ish Elohim - Uma voz contra a multidão pode ter o queixo quebrado, mas fala a verdade.
II Cr. 18:11-13. E todos os profetas profetizavam o mesmo, dizendo: Sobe a Ramote de Gileade, e triunfarás; ... Zedequias, fez para si uns chifres de ferro, e disse: Assim diz o SENHOR: Com estes ferirás aos sírios, até de todo os consumires... Porém Micaías disse: Vive o SENHOR, que o que meu Deus me disser, isso falarei.
o modelo clássico do profeta solitário - Jeremias é.
Nem pode ter uma companheira para com ela repartir o sofrimento [além de ser exilado dos seus]: “não tomarás mulher, não terás filhos nem filhas neste lugar” (v. 2).
IV-A Necessidade do Ensino – A Escola Profética nos nossos dias!
A questão Neotestamentaria.
A mudança do paradigma da forma do profeta, o “mutatis mutandis”.
A base do ensino é suportada pela Escritura Veterotestamentaria.
Na visão Neotestamentária.
At 11:28 - E, levantando-se um deles, por nome Ágabo, dava a entender pelo Espírito, que haveria uma grande fome em todo o mundo, e isso aconteceu no tempo de Cláudio César.
At 21:8-26..ss-
E no dia seguinte, partindo dali Paulo... e, entrando em casa de Filipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele. E tinha este quatro filhas virgens, que profetizavam. E, demorando-nos ali por muitos dias, chegou da Judéia um profeta, por nome Ágabo; E, vindo ter conosco, tomou a cinta de Paulo, e ligando-se os seus próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo: Assim ligarão os judeus em Jerusalém o homem de quem é esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios.
A Introdução e Ambiente Neotestamentário:
É preciso entender a origem dos cultos e a forma de adoração da Igreja se inicia dentro do Templo e das sinagogas judaicas.
Paulo e Pedro disputam, ou seja, buscam levar a Revelação do Messias aos seus contemporâneos hebreus.
E, “mutatis mutandis”, buscar, a partir do encontrado no Antigo Testamento, e projetar para como deve ser hoje. Muito do estilo de culto da Igreja foi calcado na sinagoga surgida no período exílico. Alguns, hoje, se intitulam de levitas.
O Didaquê, obra da igreja primitiva que pode ser dada como de produção ao redor do ano 90 de nossa era (parece anteceder, inclusive, ao evangelho de João), e que é considerado como um manual de doutrina da igreja primitiva, diz o seguinte, sobre o trabalho de mestres itinerantes na vida das comunidades cristãs da época: “Todo apóstolo que venha vós seja recebido como o Senhor, porém não permanecerá mais que um dia, e se houver necessidade, ainda o outro dia; mas se permanecer três dias, é um falso profeta. E tendo saído o apóstolo nada tomara para si, a não ser pão, até o próximo alojamento. Mas se pede dinheiro é um falso profeta” (11.4-7).
Fonte:
TBAT - Mackenzie - Pós-Graduação;
Roland De Vaux;
Teologia do Antigo Testamento - Gerhard Hasel;
Ralph L. Smith;
Bíblia Plenitude;
Bíblia Virtual

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUE DEUS TE ABENÇOE ! JESUS TE AMA E QUER TE LEVAR PARA O CÉU .

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...